sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Bye Bye 2011***


(image google)


"Só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir,"


Por esses dias recebi de um amigo querido, um dos maravilhosos textos de Martha Medeiros falando sobre desapego, e a preciosidade que podemos carregar no peito quando valorizamos as emoções mais do que os bens materiais...

Hoje vejo 2011 se despedindo...
Paro para pensar... O que estou levando desse ano??? O que prevalece em mim???
Depois de tantas lutas seguidas de perdas, vitórias, lágrimas e risos... me despeço de 2011 com o coração transbordando, porque tudo que conquistei vai muito além da prata e do ouro...

Coisas que não tem preço...
Amor e amizades que o tempo não apaga... riquezas incontáveis, experiências e emoções que dinheiro nenhum pode pagar...

Em 2011... eu andei descalça, tomei banho de chuva, dancei, amei, acreditei... errei e acertei inúmeras vezes..
Hoje fazendo um balanço, creio que ao colocar minha vida nas mãos do Pai fiz minha melhor escolha...
Essa deliciosa sensação é o que me faz ver que a vida vale a pena... que devemos sonhar sim!!! E fazer de tudo para que nossos sonhos se tornem realidade!!!


Alguém disse por aí que na vida só colhemos o que plantamos... e por isso é preciso espalhar boas sementes...
Deixo então em seu jardim as flores mais perfumadas, para que amanhã você possa olha-lo e lembrar que passei por aqui...


* Para o seu 2012 eu desejo que Deus caminhe lado a lado com você...
Quem tem a presença DELE, não precisa de mais nada... já tem o suficiente...
Não haverá luta impossível, e até mesmo para as inevitáveis lágrimas ELE terá o afago perfeito!!!

De 2011 levo o mais incrível aprendizado... espero que você também

2012 cheio de bençãos e ricas lições!!!***

O video não poderia ser outro... será sempre esse!!!

Filtro Solar (SunScream) Versão com Legenda por neyxxx no Videolog.tv.

domingo, 4 de setembro de 2011

Tributo à Um Doce e Inesquecivel Guerreiro...***


(image google)



Eu posso fazer milhões de fotos... escrever milhares de textos... mas, a minha obra mais incrivel sempre será você Rafa...meu AMOR***



Hoje o céu amanheceu assim... azul, incrivelmente lindo, sem uma nuvem sequer...
Creio que estava em festa, celebrando sua passagem pela Terra...
Dizem que por vezes Deus permite que seus Anjos venham nos visitar, trazendo lições e bençãos...
Eu tive esse privilégio... fui abençoada com sua presença e com um amor que jamais imaginei sentir...

Mas, como todo Anjo do Senhor, você não veio para ficar, veio apenas me ensinar a valorizar as pequenas e significativas coisas da vida...
Veio me ensinar o verdadeiro valor da luta, da fé e do amor...

Por isso, depois que você se foi... eu faço valer a pena cada segundo que compartilhamos... pois, quando atravessamos o deserto sabiamos que Deus tinha um grande propósito em nossas vidas...

Pode passar cinco... dez... trinta... quarenta ou oitenta anos...

EU JAMAIS TE ESQUECEREI!!!

Sabe por que???

PORQUE VOU TE AMAR POR TODA MINHA VIDA***

Até o dia em que finalmente viveremos o reencontro...

Inevitavel não sofrer com a saudade... mas, sei que no colinho do Papai do Céu você sorri para mim... e não há presente mais precioso do que saber que Ele cuida de você com todo amor do universo...
Por te amar assim, é que entendo e aceito a escolha de Deus...
Nunca duvidei dos designios do Pai... no tempo certo estaremos todos juntos...

TE AMO FILHO MEU...***


Pra você... só pra você eu deixo essa música... nosso elo ... nossa cúmplicidade...

Cantei em todos os dias de sua vida... e toda vez que eu ouvir, certamente é de você que sempre vou lembrar... e de mais ninguém...***

"Se Eu Não Te Amasse Tanto Assim***"


domingo, 12 de junho de 2011

O Aniversário de Glorinha...***


(image google)



Todo dia 13 de junho era assim... o primeiro Parabéns era a dona Marina, que cobria Glorinha de beijos e abraços.
Nossa pequena sempre amou fazer aniversário, pois, sentia-se acarinhada e guardava no peito as palavras da mamãe, que insistia em dizer que o aniversário da gente deveria ser o momento mais feliz... porque Deus abria mão de um de seus anjos para abençoar o universo com sua presença...


Os dias passaram rapidinho, e como diria a vovó Maria, "foi num piscar de olhos" e lá estava Glorinha outra vez no dia 13 de junho...
Naquele ano dona Marina estava com o coração apertado, pois, sabia que Glorinha esperava com ansiedade a hora do parabéns.
Desde pequenina jamais lhe faltou esse momento, pois, a mamãe sempre dava um jeitinho de agradar seus filhotinhos... Mas, nesse ano ela havia sonhado algo especial, que infelizmente não poderia fazer devido ao momento difícil que atravessava . Sua saúde precária dificultou seu trabalho e também a possibilidade de uma festa para os amiguinhos de Glorinha.

A pequena chegou da aula cheia de novidades, e curiosa abriu a geladeira em busca do tão sonhado bolo... Olhou em cima... olhou em baixo... e nada...
Será que ela esqueceu...??? pensou Glorinha...
Dona Marina vendo o olhar curioso da filha, ficou apreensiva e resolveu explicar:

- Filha, você sabe que a mamãe sempre quis o melhor para vocês , não sabe???

Glorinha balançou a cabeça dizendo que sim...

- Você ficaria muito triste se ano fosse diferente dos outros? Se não houvesse presente... - disse dona Marina com olhos rasos d'agua.

Glorinha olhou a mãe e abraçou apertadinho. A pequena não entendia muito bem, mas, sabia que ver a mamãe chorar não era nada bom...

No finalzinho daquela tarde dona Marina preparou um bolo simples e seus famosos sanduiches... tudo simples... mas, feito com muito carinho...
Era para poucos... que significavam muito...

Em volta da mesa estavam Susana, Pedro e mamãe para cantar o parabéns de Glorinha...
As luzes se apagaram e somente as velinhas tomaram conta do local... Glorinha olhou aquela cena tão simples mas, tão cheia de amor... e compreendeu que não haveria no mundo presente melhor que aquele...

Foi um dos aniversários mais simples que ela teve... mas, foi o mais significativo... não pelo que havia na mesa, mas, pelo amor que os cercavam...


* Eu não saberia escrever esse texto com maiores detalhes... mas, sei dizer a emoção e a lembrança que ele me traz...
Já tive muitas festas ... mas, a única que me vem à lembrança quando fecho os olhos é justamente a mais simples, que foi feita com o melhor que ela podia me oferecer naquele momento...
Minha mãe sabia transmitir amor como ninguém...



quarta-feira, 8 de junho de 2011

Gosto de Te Ver Sorrindo...***


(google image)


Aaaah a escola... Glorinha sempre amou estudar...
Ler, escrever, fazer novos amigos... enfim, viver esse mundo mágico onde letras e pessoas se encontram... que fascínio!!!
Inicio de ano traz consigo muitas expectativas, e no coração de nossa Glorinha isso não era diferente...
Feliz da vida, nossa pequena sempre dava um jeitinho de percorrer o pátio da escola na hora do intervalo. Na verdade Glorinha gostava mesmo era de passear...

Num de seus passeios Glorinha viu Caio, um garotinho tímido que costuma sentar com seu caderninho debaixo de uma grande árvore...
Caio era de poucos amigos e vivia escrevendo sabe-se lá o quê... e curiosa como ela só, Glorinha não perdeu a oportunidade... sentou-se ao lado dele...

- Oooooooi Pessoa... o que é que você tanto escreve?
- Nada . disse Caio fechando o caderninho.
- Hummm... nada mesmo?
- Nada... disse ele como se quisesse colocar fim no momento desconfortável...

Glorinha percebeu que seu novo coleguinha não era de muitas palavras, ainda tentou puxar papo... mas, foi em vão...
Caio com seu precioso caderninho... parecia viver num mundo só dele
Os dias foram passando e Glorinha ficou intrigada com seu novo amiguinho... Vez ou outra sentava ao seu lado debaixo da enorme árvore e juntos compartilhavam de uma cumplicidade silenciosa...
As vezes Glorinha tentava espiar o que Caio estava escrevendo... mas, imediatamente ele fechava o caderninho e se afastava...
O que mais intrigava Glorinha eram os olhos tristes de seu amiguinho...

Naquela tarde Glorinha foi para casa pensando nisso...
Mal chegou e foi sentar na soleira da porta... dona Marina sabia que ao sentar ali com olhar perdido, alguma coisa estava acontecendo com sua pequena... e logo perguntou:

- Que foi filha??? Aconteceu alguma coisa...???

Glorinha contou para mamãe o quanto gostaria de ver seu amiguinho sorrir. No mesmo instante dona Marina riu de sua pequena... sempre querendo dar jeito em tudo.

- Glorinha, cada pessoa tem seu jeitinho de agir. Alguns são mais reservados, falam pouco... são tímidos...

- Mas, mãe...eu não sou assim...
- Não Glorinha... definitivamente você não é... aliás, você fala mais que a nega do leite...

Glorinha deu risada, pois, sabia que a mamãe estava certa...

- Filha, a melhor forma de fazermos alguém sorrir é oferecendo nosso melhor e respeitando seu espaço.

Nossa pequena ficou pensando no que possuía de tão bom que pudesse oferecer...
No dia seguinte lá estava ele debaixo da árvore, mais uma vez Glorinha sentou-se ao seu lado, dessa vez com um caderninho nas mãos...
Caio olhou para ela intrigado... ela então abriu seu caderninho onde ele pôde ler em letras grandes...

" A minha maior alegria é saber que você existe, e melhor do que isso é saber que você é meu amigo"

Nesse mesmo instante Glorinha recebeu o que mais desejava de seu amiguinho:
Um lindo e largo sorriso.

Então, ela se virou para ele e disse:
- Tudo o que eu queria era te ver sorrindo!!!


* Nem sempre precisamos saber de todas as coisas com detalhes... A verdadeira amizade muitas vezes possui uma cumplicidade silenciosa...

Esse texto é dedicado a alguém muito especial, que encanta o mundo cada vez que se permite sorrir...
"Pessoa" esse texto é pra você!!!

sábado, 21 de maio de 2011

Alojamento Sim... Favela Não!!!***


(image google)


Uma das primeiras coisas que Glorinha aprendeu foi valorizar as pessoas pelo que elas são, e não pelo que possuem...
Seus pais sempre ensinaram o valor das coisas, principalmente do respeito e da amizade...
Não fazer diferença entre pobres e ricos, pois, na Terra tudo é passageiro... mas, carinho, respeito e lealdade são coisas que ficam gravadas para sempre.

Glorinha estudava numa escola pública e a maioria de seus coleguinhas eram de familia humilde e com poucos recursos.
As crianças que tinham melhores condições finaceiras geralmente brincavam entre si, evitando os mais pobres e se referiam ás outras como : os coleguinhas da favela.

Glorinha sempre teve facilidade em fazer amizades, e sabia que Laura, Sandra e Lindomar moravam na região pobre do bairro, para eles não era uma "favela", eles a chamavam de alojamento...
Aos poucos Glorinha foi se aproximando deles, e ao perceber a importância que davam ao nome do lugar, se referia a ele da mesma forma "alojamento".
Isso fez com que ganhasse a confiança e simpatia de seus amiguinhos...

Curiosa como ela só, adorava ouvir a história da vida deles e ficava imaginando como era o lugar, o que faziam, como viviam e por que eram diferentes...
E não demorou muito, logo foi surpreendida com o convite de Laurinha...

-Glorinha você quer ir lá em casa hoje???

Nossa, os olhos de Glorinha brilharam... quanta honra!!! Ser convidada para conhecer o alojamento. Com certeza era um convite irrecusavel, não demoraria nadinha, logo voltaria para casa e sua mãe não se incomodaria, afinal, eram seus amiguinhos da escola que moravam ali pertinho...

Onze horas da manhã bate o sinal, as crianças correm em direção à saída e nossa pequena toda orgulhosa acompanha seus amiguinhos rumo ao alojamento no Heliópolis...
Ao chegar no local é tomada por uma curiosidade incrivel, as casas de madeiras, o banheiro comunitário só com um buraco no chão deixa a menina intrigada...Cadê o vaso???

Mas, interessante mesmo eram as mulheres em volta do tanques de lavar roupa. Glorinha achou divertido imaginar todas juntas compartilhando de um momento que particularmente não agradava muito sua mãe.
Dona Marina dizia que serviço doméstico era algo que não tinha fim, era acabar de fazer para ter que fazer de novo.
Glorinha percebeu as diferenças entre uma vida de conforto e as dificuldades que algumas pessoas enfrentam para viver, e lembrou das palavras de seus pais...

Pais??? Paaaaaais???
As horas foram passando e Glorinha não se deu conta do tempo, quando olhou no relógio já imaginou que estava em grandes apuros... se despediu de suas coleguinhas e correu para casa. Mas, ao avistar dona Marina entendeu naquele instante que seu sumiço não ficaria barato.
A cara de desespero da mãe deu lugar ao alivio e logo em seguida a um ar severo que Glorinha jamais tinha visto...

Nossa pequena não escapou das palmadas...e nem do castigo, e dona Marina fez questão de dizer repetidas vezes as razões da punição, lembrando à Glorinha a importancia de avisar quando, onde e com quem estaria, pois, a alegria de estar com seus amiguinhos não justificava o susto pelo qual a familia passou...
Embora fosse um momento dificil de aceitar nossa pequena entendeu seu erro e razão do castigo...

Três grandes lições ficaram no coração de Glorinha:

Não somos melhores ou piores pelos bens que possuimos, apenas vivemos de forma diferente...

Ao sairmos de casa devemos lembrar que sempre haverá alguém preocupado conosco...
o fato de não darmos satisfação de onde vamos e o que fazemos poderá influenciar na vida de outras pessoas, o minimo que devemos ter é respeito e consideração com quem nos cerca.

Pais que amam corrigem seus filhos... e a punição é necessaria para que possamos comprender o quanto erramos.


* Hoje temos leis e estatutos que proibem os pais de punirem seus filhos...
Meus pais sempre me corrigiram e sou grata a eles por saberem como faze-lo, pois, ao invés de me revoltar, aprendi o valor de todas as coisas.
Quem ama , corrige e nos ensina o caminho por onde devemos andar...
Se hoje sou quem sou, agradeço ao cuidado e educação que recebi de meus pais....

Algumas pessoas "criam filhos"... outras... educam!!!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Anjos da Minha Vida ...***A Felicidade de Ter e Ser Mãe***



( na foto : Marina Braga - a Mulher que me inspirou a ser quem hoje sou***)


Na minha vida há dois amores imortais...
Minha mãe, a doce e incomparavel Marina...e Rafinha, meu filhotinho, meu pequeno guerreiro...
Dois anjos que amarei além da vida...


Para me acompanhar... uma música que fala desse amor eterno por você mãe...


Mama...*** (Spice Girls)



http://www.youtube.com/watch?v=VsNbhwSXDB8

Ela sonhou um mundo perfeito para mim e meus irmãos... nos ensinou tantas coisas... e a mais bonita de todas foi que...
"
Não importa quantos filhos tenha um casal, eles sempre serão como os dedinhos da mão... Um diferente do outro, mas, todos importantes e amados por serem quem são..."

Minha mãe era uma mulher fascinante... dona de um coração encantado, me ensinou a arte de amar com doçura, de perdoar e pedir perdão...
Me ensinou o valor que as pessoas e coisas possuem, e que dignidade e honra não são só palavras e sim atitudes... Nossas atitudes...


Ensinou o valor da verdade e da lealdade...
dizia também que mentira tem pernas tão curtas, que a verdade é capaz de alcança-la num piscar de olhos...
Ah, aprendi tantas coisas com essa mulher... seu legado enriqueceu minha alma de forma que dinheiro nenhum no mundo é capaz de comprar...
Além de nos ensinar sobre honra e dignidade, ela nos deu a maior de todas as lições... A Lição do Amor... Essa certamente corrobora todas as outras...


Eu costumo dizer que ela era feita de amor e carinho... era feita de sonhos e poesias... e acho que dela herdei esse fascínio pela vida... e a incorrigível paixão por viver um sonho a cada dia...
Para ela não havia momento especial para um beijo ou afago... tudo era motivo para nos colocar no colo e fazer um dengo, e ela dizia : "Vocês são a razão da minha vida..."
E os nossos aniversários???
Minha mãe dizia que o aniversario da gente deveria ser o momento mais feliz... porque Deus abria mão de um de seus anjos para abençoar o universo com sua presença...


Lembro que houve anos em que os poucos recursos permitiam a minha mãe fazer somente um bolinho simples... com guaraná... que aos nossos olhos era simplesmente tuuuuuuuuudo.... E enquanto ela viveu, jamais faltou um só “parabéns “ em minha vida...

Hoje fecho os olhos... e ainda vejo a cozinha iluminada apenas pelas velinhas do bolo... e o momento de fechar os olhos e fazer um pedido... que quase sempre era ter a boneca mais bonita da loja de brinquedos...
Ainda vejo meus irmãos tão felizes com um gesto tão simples... que apesar de ter sido feito com tanto sacrificio... para minha mãe significava o momento mais incrível... só pelo prazer de nos ver sorrir...

Um dia eu também me tornei mãe e entendi todos os seus conselhos, suas preocupações e seus anseios...
Quando olhei para o Rafa descobri o segredo de um amor maior que eu... descobri que seríamos capazes de oferecer a vida para ve-los felizes se isso nos fosse permitido...
Como não foi, Deus em sua sabedoria me fez viver em pouco tempo a experiencia mais fascinante que valeu por todos os anos de minha vida...

Com ele aprendi que independente de quanto e até onde percorremos juntos... não é preciso dizer adeus... porque dentro de nós algo ainda maior viverá...algo entre o céu e a Terra... eterno e intocável... algo que o tempo não rouba...e que jamais se acaba... um amor indescritível... que só quem sente sabe o que verdadeiramente significa...


Meus Anjos me ensinaram muito...
Essa mulher mágica e encantadora me fez sentir muito amada...
Esse pequeno e doce guerreiro me ensinou a amar incondicionalmente...
Talvez seja por isso que desejo ter uma segunda chance... para poder amar assim... um amor além da vida... um amor que a gente não explica... mas, que nos faz ser verdadeiramente importante para alguém...
Quando vejo Nardonis e Jatobás... meu coração entristece... mas, daí ele também se lembra que no mundo há muitas Marinas...tão doces e encantadoras como a minha...

Pessoas inspiradoras são raridades... por isso, me considero privilegiada... pois, em minha vida tive duas delas!!!
Agradeço a Deus pela honra de ter uma Mãe tão linda e carinhosa... e por ser Mãe de um Anjo como o Rafa... Mesmo que tenhamos nos separado em vida, o amor de Deus nos manterá unidos para SEMPRE!!!


Eu venho de uma linhagem de guerreiros... e meu filho não seria diferente!!!
Dentro do peito temos uma grande paixão que nos faz viver até a última gota !!!

VOU AMA-LOS POR TODA MINHA VIDA***

sábado, 19 de março de 2011

Os Sonhos de Glorinha...***


(image google)

Duas coisas no mundo eram capazes de fascinar Glorinha... histórias e mapas... Amava viajar nos causos e contos e sonhava em conhecer o mundo...

Para nossa pequena, o universo desconhecido era simplesmente encantador, por isso vivia rodeando as pessoas mais velhas que sempre tinham algo pra contar...

No tempo em que ainda morava na rua Teodoro de Beuripaire, Glorinha sentava-se no portão no finalzinho da tarde à espera das filhas de dona Emilia...

Era sempre a mesma história... “Maria das Meias”, Glorinha não se importava... adorava ouvir mesmo assim...

Gostava de se aninhar no colo e ver as expressões a cada desenrolar dos causos e contos, se apaixonava pela riqueza de detalhes...

Na escola o momento mais feliz era a hora da leitura ou as aulas de geografia...

Glorinha olhava as figuras e se sentia parte da história, ficava imaginando os personagens assim tão próximos... pareciam tão reais...

Ah, e o que dizer dos mapas??? Toda vez que olhava para eles dizia para si mesma: “Um dia vou conhecer o mundo. Deve ser bom ser aeromoça, viaja tanto...”

Um dos lugares preferidos era o topo da ladeira... Dali era possível ver uma enorme torre...

Aos seus olhos Glorinha enxergava Paris. Ela não sabia muito bem nome da torre... mas, que era Paris, ah era...

Ficava horas olhando aquele lugar que lhe parecia tão distante e tão encantador...

Certa vez a voltar para casa a vovó Maria estava terminando de preparar o lanche da tarde, e Glorinha não resistiu ao silêncio, sentando-se à mesa falou:

- Vó, hoje eu vi Paris.

- Nos livros?

- Não né vó, lá em cima no fim da rua.

Suzana que acabara de chegar riu da irmã

- Ai Glorinha como você é boba, aquilo não é Paris é o bairro Moinho Velho.

A vó percebendo a decepção nos olhos rasos d’agua de Glorinha, ralhou com Suzana...

-Mocinha, vá já lavar as mãos se quiser tomar café.

Glorinha desapontada perguntou:

-É verdade vó? Lá não é a minha Paris?

Vovó Maria com doçura respondeu:

-Meu amor, o mundo é muito grande, Paris está um pouquinho longe.

-Grande quanto vó? Eu nunca irei lá?

-Glorinha, o mundo é do tamanho dos teus sonhos... se você vai chegar lá?

Ah, meu anjo... isso só vai depender do quanto seu coração desejar. Afinal, sonhos são os primeiros passos para a realidade.

Mesmo sabendo que aquela torre não era a sua Paris, Glorinha continuou a subir a ladeira para olha-la e repetia para si mesma : “Um dia eu vou conhecer o mundo”.

*No coração dos nossos pequenos nascem grandes sonhos, é nosso dever sempre encoraja-los a lutar para conquista-los.

Segundo Richard Bach “Longe é Lugar que não Existe”.

Creio que a distância e os obstáculos jamais nos impedirão de realizar sonhos se dentro de nós houver confiança e determinação... isso conquistamos ao longo da vida... e o primeiro exemplo devemos ter dentro de casa!!!

Pense nos valores e no encorajamento que você tem dado aos seus filhos, sobrinhos, irmãos e até mesmo a quem te cerca!!!

A propósito... A Torre Eiffeil é simplesmente linda... foi impossível não chorar...

Vale a pena ir em busca de um sonho... realiza-lo é uma emoção que não tem preço...***

sábado, 29 de janeiro de 2011

Começando o Diaaa!!!***



Todo dia era assim... uma disputa acirrada para ver quem conseguia o melhor lugar na cama da mamãe...(ficar na ponta era sempre motivo de ir para o chão na hora do inevitável empurra empurra).
O pai acordava cedinho para o trabalho, e deixava o lugar quentinho para os pequenos se aninharem...
Glorinha se esforçava o máximo, mas nem sempre tinha a mesma sorte que Pedrinho ou Suzana... por isso era obrigada a apelar para a cara de choro, que por algumas vezes convencia... outras não... mas, como o coração de mãe... na cama sempre cabia os três...

Acordar cedo era um suplício para Glorinha... simplesmente uma guerra... dona Marina perdia a conta das inúmeras tentativas de faze-la levantar... só despertava mesmo na hora do banho... ah... esse momento era simplesmente mágico... entrava no chuveiro e começava a cantoria....desafinada...mas, divertida!!!
Glorinha cantarolava tudo o que sabia, e quando não sabia inventava só para não perder a melodia... Essa paixão ela herdou da mãe, que ao contrário dela era afinadissima em seus boleros


Banho tomado, uniforme impecável.... o cheiro do café fresquinho anunciava que tinha pão quentinho na mesa... tudo simples... mas, preparado com muito carinho... um dos momentos mais divertidos do dia, e a felicidade era ver a manteiga derreter devagarinho naquela gostosura...
A conversa animada em volta da mesa... a disputa pelo pãozinho mais crocante... e o sempre terno sorriso da mamãe preparavam Glorinha para mais um dia de aula...

Não era fácil acordar cedo... mas, estudar de manhãzinha tinha suas compensações... pois, a tarde era todinha sua... depois dos deveres de casa... é claro!!!


* Um dia que começa feliz, tem grandes chances de ser feliz até o seu final...
Não estamos livres de ter desentendimentos logo cedo, nem tampouco mau humor por sermos obrigados a sair da cama quando ela nos parece tão convidativa a ficar... mas, se soubermos vencer esses pequenos obstáculos com paciência e dedicação, ensinaremoss nossos pequenos a cumprir seus primeiros compromissos...e ao tornarem-se adultos levarão consigo na bagagem exemplos enriquecedores...

Todas as manhãs temos a oportunidade de decidir como será o nosso dia...
Ao enfrentarmos as pequenas e grandes adversidades determinaremos a alegria ou dificuldade até que ele termine... depende mais de nós do que de qualquer outra pessoa...
Jamais permita que as adversidades da vida lhe impeçam de sorrir de manhã até a noitinha... Pense nisso!!!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Como Nascem os Anjos...***

Dizem que os Anjos são as criaturas mais perfeitas...
Escolhidos por Deus, esses seres abençoados são enviados à Terra com a missão de acompanhar e proteger os homens...
São feitos de amor e carinho... são feitos de afago, de sonhos... e estão sempre por perto quando precisamos ou não...

Hoje, um Anjo encantado completa alguns anos de visita à Terra... um anjo que na sua doçura atravessou comigo muitos desertos...
Me ensinou o valor do amor... do companheirismo, da honra, bravura e lealdade...
Esse anjo ao descer a Terra se tornou humano... conheceu seus defeitos, suas qualidades... e como humano se fez anjo em minha vida, e até os dias de hoje é uma das criaturas mais encantadoras que conheço...




A esse Anjo Guerreiro...

deixo meu abraço mais apertado... meu carinho e admiração...
e eterna gratidão por ter me dado o melhor e mais incrivel presente...






***Os Anjos nascem da vontade de Deus de cuidar do mundo... e quando ele os transforma em homem, mesmo assim conseguimos reconhece-los pelos seus gestos, pelo seu incomparavel jeito de amar e agir...


Dedicado a você... pelo seu dia Anjo Cutulinho


sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Amigo Secreto... O Melhor Presente***





Final de ano, e a turminha resolveu fazer um amigo secreto.
Glorinha ficou encantada com a idéia de participar da brincadeira, embora sua experiência na escola tenha sido complicada, quando Bruninho lhe deu de presente um caderninho brochura enrolado num jornal.

Mas, como os amigos eram diferentes, dessa vez ela talvez tivesse mais sorte em ganhar um bom presente.
Amigos sorteados, uma algazarra sem fim e uma expectativa imensa em saber que tinha tirado seu nome.

Glorinha tirou a Paula, uma menina divertida e também muito vaidosa, o que facilitava e muito na escolha do presente.
Mas, quem será que tirou seu nome??? Ai que desespero e curiosidade!!
Como a familia tinha se mudado e moravam em apartamentos, a caixinha para as cartinhas de amigo secreto ficava no corredor do primeiro andar...

Dona Marina perdia a conta de quantas vezes Glorinha descia e subia as escadas, sempre ansiosa por um recadinho de seu amigo secreto. Mas, esse lhe escrevia tão pouco... não havia pistas...
Até que um dia, Glorinha encontra um bilhetinho com letras de garrancho, mas com delicadas flores desenhadas no final do texto!!! Só podia ser uma menina!!! Meninos não desenham flores em bilhetinhos.

Sua amiga secreta perguntava o que ela gostaria de ganhar...
Nossa!!! A cabeça de Glorinha foi a mil, não sabia o que escolher... queria muito um CD com as músicas da novela das 8, mas, ainda tinha tantas outras coisas... ah se pudesse ser mais de um presente!!!
É.. mas, se ganhasse dois, teria que dar dois presentes também... Melhor um mesmo né...

Pensou, pensou... e acabou escolhendo um diário, daqueles de capa lilás, com páginas floridas e cadeado!!! O presente perfeito.
Glorinha não conseguia conter sua expectativa e só falava nisso...
Mas, ao encontrar com seus amiguinhos, percebia uma certo desconforto em Aninha, que sempre se afastava da turma quando tocavam no assunto.

Aninha era de uma família muito simples, seu pai era representante de uma empresa de sapatos e viajava muito, passando vários dias longe de casa. A mãe lavava roupa para fora, para que a família não passasse necessidades.
Aos poucos Glorinha percebeu que Aninha havia tirado seu nome, e torcia para que ela pudesse comprar seu presente perfeito.


Mas, no dia da entrega dos presentes, Glorinha ao invés do lindo diário, ganhou de Aninha uma simples camiseta azul.
No rosto de Glorinha estava estampada a decepção ao abrir o pacote.
Como Aninha se atrevia a dar um presente tão ruim?
Mas, antes que pudesse dizer uma só palavra... algo chamou sua atenção:


Um lindo cartão escrito na capa...

“Você nunca vai me decepcionar...”

Quando abriu... os olhos de Glorinha se encheram de lágrimas ao ler o que estava escrito...

“PORQUE VOCÊ É MINHA AMIGA!!!”

De repente o lindo diário não chegava aos pés da importância daquele cartão.


***As vezes a crianças alcançam uma compreensão que nosso coração de adulto já não mais permite conquistar de forma pura ...
Com o passar do tempo agregamos certos valores absurdos e nos esquecemos o que verdadeiramente importa... Damos nota ao supérfulo e negligenciamos o essencial...

Amamos o efêmero, e muitas vezes desprezamos coisas que por sua raridade podem se tornar eternas dentro do peito...
Quem dera tatuássemos na alma esse frescor e a doçura dos pequeninos, e por vezes reaprendêssemos com eles algumas preciosas lições que perdemos ao longo de nosso caminho...

Envelhecer é uma arte, na qual consiste percorrer os árduos caminhos do tempo, sem jamais perder a doçura.


Esse texto é dedicado à uma amiga que há anos não vejo, mas que um dia me ensinou uma grande e preciosa lição.***

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A Raspa do Tacho...***



Glorinha chegou da escola e como de costume entrou em casa feito um furacão indo direto para cozinha...
- Mãe ... mãe ......
De repente ela pára e se dá conta de que em cima da mesa há uma grande tigela, ovos, leite, farinha e mais algumas outras coisas...
Bolo!!! Obaaaaaaa!!!
- Mãe posso ajudar... deixa, deixa, diz que sim... por favorzinho – pediu a menina com aquela carinha de “ninguém resiste”.

Dona Marina não gostava de crianças rodeando o fogão, achava perigoso, mas, em se tratando de fazer um bolo, achou que não seria problema ter uma assistente.
Glorinha correu para lavar as mãos e toda orgulhosa se colocou ao lado da mãe para a importante tarefa...

Glorinha amava a mamãe e tudo o que fazia ao seu lado era sempre um motivo de alegria...
Mas, seu reinado durou pouco, pois, logo em seguida chegou Pedrinho que insistia em ajudar também, e não demorou para dona Marina ficar de cabelo em pé com a briga dos dois...
Ambos não atendiam aos apelos da mãe.
Resultado: os dois direto para o sofá. Enquanto não fizessem as pazes nada de ajudar na cozinha.

Dona Marina acabou terminando o bolo sozinha, mas, seu coração de mãe não resistiu e chamou os pequenos para a hora mais esperada: A raspa do tacho...
Glorinha apenas olhou a mãe com um olhar comprido, e então dona Marina entendendo o signficado, deixou uma generosa porção de massa na colher de pau e deu a Pedrinho, que de imediato franziu a testa.

Mas, antes que ele pudesse reclamar, foi logo dizendo:
- Dessa vez a tigela é da Glorinha, ela sempre fica com a colher, e de certa forma ela também ajudou a fazer o bolo antes de você chegar...
Diante da firmeza da mãe Pedrinho não teve como contestar, e assim Glorinha se esbaldou com as raspas da enorme tigela...

Final da tarde bolo pronto, Suzana chega em casa bem na hora do café.
Glorinha toda orgulhosa olha para irmã e diz:
-Eu fiquei com a tigeeeeeela...

Suzana retrucou:
- E daí ? Eu vou comer o bolo
- Fui eu que fiz.

A mãe vendo as provocações foi logo dizendo:
- Gloooorinhaaa...
- Ta.. eu não fiz tudo... só um pouquinho...

No final acabou tudo em brincadeira em volta da grande mesa, e o café da tarde dessa vez teve um gostinho diferente.



***Alguns momentos na vida são simplesmente preciosos...
Nossos pequeninos têm nos adultos um significativo referencial, e cada vez que compartilhamos com eles pequenas tarefas, eles se sentem úteis e especiais...

Saber dividir e reconhecer as qualidades ou feitos dos outros é uma grande virtude, que deve ser ensinada com amor e carinho.
Sempre haverá discussões, disputas e situações complicadas, o que vai determinar o bom aprendizado, certamente é a forma de lidarmos com o problema.

Nas coisas simples encontramos grandes valores... que acabam por eternizar um momento dentro do peito. E não duvide, pode passar 30 ou 40 anos, as imagens são tão vivas, que parece que foi ontem!!!

Esse texto é dedicado à família que mais amei em toda minha vida:

A MINHA***

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Somos Como os Dedinhos da Mão...***



Como se não faltasse mais nada, Pedrinho o filho mais velho adoeceu naquela semana. Febre alta, calafrios e falta de apetite...
Diagnóstico: garganta inflamada... Isso foi o suficiente para alterar a rotina de dona Marina, que tentava conciliar o trabalho com os cuidados do pequeno...

Como a família não tinha empregada e o pai ficava fora o dia todo por conta do trabalho, a mãe contava com a ajuda de Suzana, a filha do meio, que vigiava as travessuras de Glorinha...

Nessa correria acabou não percebendo a mudança de comportamento da filha, que nos últimos dias andava amuada pelos cantos da casa... sem querer brincar ou comer...
Até que tia Celina passou para saber noticias de Pedrinho e percebeu que havia algo errado com a menina e alertou a mãe.

Dona Marina então deu-se conta de que Glorinha passava grande parte do tempo sentada na soleira da porta com o olhar perdido...
Quando a mãe lhe perguntou o que aborrecia, a menina simplesmente encolheu os ombros...

Naquela noite antes de dormir, dona Marina sentou-se na beiradinha da cama de Glorinha e sussurrou baixinho em seu ouvido:

-Filha, conta para mamãe o que te deixa tão triste...

Glorinha com os olhinhos miúdos fitou a mãe por um instante, e com um soluço disse:
- A senhora gosta mais do Pedrinho e da Suzana do que de mim, não é? Só porque eles nasceram primeiro, seu amor foi todinho pra eles e sobrou pouquinho pra mim.

A mãe comovida com a tristeza da filha, abraçou carinhosamente e disse baixinho:

- Meu amor, você sabia que os filhos são como os dedinhos da mão? Isso mesmo!!! Os dedinhos da mão são diferentes, mas, todos são importantes e precisamos de todos eles...
Assim são os filhos para os pais. Não amamos um mais do que o outro. Amamos cada um deles, como eles são.
Hoje, o Pedrinho está dodói por isso a mamãe dá mais atenção a ele, porque ele precisa de mais cuidados, mas, isso não significa que te amo menos do que a ele ou à Suzana.
Você lembra da noite em que acordou assustada e foi dormir em minha cama? Naquela noite não amei menos o Pedrinho e a Suzana, naquela noite estava juntinho de quem mais precisava de mim...


O amor da mamãe e do papai é tão grande que não conseguimos calcular...
Sempre amaremos vocês do jeitinho que vocês são, pois assim como os dedinhos da mão, cada um é especial e importante à sua maneira.

Feliz por se sentir amada, Glorinha adormeceu nos braços da mamãe, com a certeza de que não importa quantos filhos tenha um casal, todos são amados por serem quem são.


O nossos pequeninos tem a necessidade de saber o quanto são especiais... o quanto são importantes...
As pessoas não são mais ou menos importantes umas que as outras... Elas são únicas!!!

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Quem Nasceu Primeiro? O Ovo ou a Galinha...???***



Vovó Maria acordava cedinho todas as manhãs, podemos dizer que ela “acordava com as galinhas”, e ia lá para os fundos do quintal cuidar da criação...
Pássaros, galos, galinhas e muitos ovos... era a hora de cuidar da bicharada...vovó Maria fazia isso cantando.

Glorinha ficava encantada com o jeitinho da vovó, sempre cuidadosa e trabalhadora, mesmo tratando do animais da casa e do jardim, estava sempre bonitinha e cheirosinha...
A vovó era linda!!!

Ao longe a pequena espreitava dona Maria, e quando ela voltava para cozinha era bombardeada com mil perguntas de como surgiam as galinhas, os galos, passarinhos e quem nasceu primeiro.

Por diversas vezes a vovó explicou sobre a criação de Deus, mas, para Glorinha tudo parecia muito complicado.
Até que um dia resolveu enfrentar o medo que tinha dos galos... Esperou a hora em que a vovó costumava deitar para descansar, e com uma vassoura foi até o galinheiro...

A menina não se conteve, queria saber como nasciam os pintinhos... e foi assim que espantou galos e galinhas com sua vassoura...
A bicharada assustada correu pelo quintal... e Glorinha pode ver o ninho de pertinho...

Encantada e curiosa ficou ali pensando como é que eles nasciam... Foi então que ouvi um barulho na cozinha... era a vovó...
Correu rapidinho antes que dona Maria pudesse vê-la...
Na hora do jantar perguntou quanto tempo os pintinhos demoravam pra nascer...

A vovó explicou que eles precisam crescer e ficar forte para quebrar os ovos...
Mais uma vez na hora da sesta, Glorinha aproveitou a soneca da vovó para visitar o galinheiro, e penalizada pelo esforço que eles deveriam fazer resolveu “ajuda-los” a sair dos ovos...

Abriu um, e nada... o pintinho ainda não estava bom... abriu outro e nada... ainda não estava bom... e pensou:
Será que estavam todos doentes??? Eu to ajudando, por que não nascem?
Antes que pudesse abrir um terceiro ovo, a galinha mãe desesperada ao ver os ovos não mão da menina, partiu em sua direção...

Num salto Glorinha fugiu do galinheiro...mas, essa confusão toda acabou acordando a vovó, que foi ver o acontecido.
Não demorou muito para constatar a morte dos pintinhos...Alguém havia invadido o galinheiro.

A vovó chamou Glorinha, que mesmo antes de uma só palavra já foi falando:
“Não fui eu, não fui eu...”
Vovó Maria então mostrou a vassoura que estava no galinheiro e disse:
Glorinha, nem tente negar... olha aqui a prova...

Envergonhada por não dizer a verdade Glorinha confessou que só queria ajudar os pintinhos a nascer...
Vovó Maria sentou-se ao lado da pequena e com seu jeitinho carinhoso explicou que a natureza é sábia e faz as coisas perfeitinhas, pois, o tudo tem seu tempo para nascer e crescer...
Os esforços para quebrar os ovos tornariam o bico e as asinhas do pinto mais fortes... e mais do que isso, explicou a importância de assumirmos nossos erros, mesmo que eles mereçam punição, pois, só assim as pessoas confiarão em nossas palavras e aprenderemos a distinguir o certo do errado.

Depois dessa longa conversa, Glorinha passou a ajudar a vovó a cuidar dos animais e toda vez que tinha alguma curiosidade a vovó acompanhava seu conhecimento de pertinho.


***O diálogo, o respeito e o amor sempre foram as melhores formas de educar uma criança.

Para nossos pequeninos o mundo é um grande mistério, e as curiosidades a respeito de todos os assuntos são absolutamente normais, por essa razão é tão necessário ensina-los através da verdade, do carinho e da paciência...

Todos nós cometemos erros, e aprender a admiti-los nos permite repensar nossos passos, estabelecendo confiança, para que nos tornemos pessoas dignas de respeito e consideração.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A Carteira Perdida...***


Toda vez que saiam de casa, dona Marina explicava para Glorinha que o dinheirinho que tinham estava curtinho, por isso ao chegar nas lojas e supermercados, pedia a filha que entendesse caso não fosse possível comprar os doces ou brinquedos que ela desejasse...


Glorinha olhava as vitrines e prateleiras com aquele olhar comprido, aquilo tudo era uma tortura...

Balas, chocolates, bonecas e uma infinidade de outros brinquedos... Nossa!!! Como é que fabricavam tantas coisas de um dia para o outro?


Ensaiava um discurso mas, lembrava das palavras da mamãe e logo desistia.

Virava e mexia ela falava para a mãe:

“Bem que a gente podia achar uma mala de dinheiro. Já pensou? Comprar tudinho tudinho??? Aaaaai que delicia”.


Dona Marina ria da filha e respondia:

- Glorinha, se achássemos uma mala de dinheiro é porque provavelmente alguém a perdeu, sendo assim o certo é devolver para o verdadeiro dono.

- Mas, poderia ser sem nome...

- Ai ai ai Glorinha, você tem cada idéia.

Filha, dinheiro fácil não é bom, porque assim nunca aprendemos o seu verdadeiro valor. Um dia quando você for adulta irá trabalhar e se souber poupar poderá escolher e comprar aquilo que desejar...


Alguns dias depois, no caminho para escola Glorinha encontra uma carteira... Dentro algum dinheiro.

A pequena se certificou se havia algum documento, nome...Nada!!! Exceto uma fotografia de jovem já amarelada pelo tempo.


Como Glorinha não o conhecia abriu um sorriso de satisfação, pois, se não encontrasse o dono talvez pudesse ficar com ela. Mas, caminhando um pouco mais, viu uma senhora de ar triste e preocupado, e quis saber por que ela caminhava olhando insistentemente para o chão, e se deu conta de que aquela era a dona da carteira...


Glorinha lembrou das palavras da mãe e no mesmo instante perguntou àquela senhora se a carteira lhe pertencia.

Com um sorriso aliviado ela balançou a cabeça e disse:

- Sabe, na minha carteira não há muito dinheiro, mas, há uma coisa muito preciosa, a foto do Eugenio meu irmão mais velho, essa é a única lembrança que tenho dele, e vale mais do que qualquer dinheiro no mundo.


Naquele instante Glorinha compreendeu que o dinheiro pode ser muito bom, mas há outras coisas na vida, cujo o valor é inestimável e que dinheiro nenhum é capaz de comprar.

E foi assim que ela seguiu para a escola, agora muito mais preocupada nas riquezas da alma, do que com os bens que o dinheiro pode trazer.



* As coisas e as pessoas possuem os valores que atribuímos a elas...

Quando uma criança cresce compreendendo o significado do amor, do respeito e do trabalho, certamente se torna um adulto empreendedor e reconhece no fruto de seus esforços o sabor e o valor da conquista!!!




sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O Liaaauuummm e a Beija Flor***















Um dia visitando a amiga Àguia, o grande Liaaauuum conheceu uma Beija Flor atrapalhada e dela se enamorou...

O Liaaauuum se divertia e sem encantava com a urgência da pequena Beija Flor em realizar suas tarefas... Para ela, tudo era para ontem...

Ele era tranqüilo e muito sábio... Ela, era agitada e bastante teimosa, pois, insistia em ocupar o tempo e fazer tudo à sua maneira...

Liaaauuum e Beija Flor eram de mundos diferentes, e por essa razão o amor transformou-se numa linda e encantadora amizade que durou muitos anos...

Com o tempo o doce e sábio Liaaauuum compartilhou de sua sabedoria e proteção com a pequena Beija Flor, passavam longas horas a conversar...e aos poucos o grande Liaaauuummm ensinou o valor da paciência, e da calma em realizar todas as coisas..

Riam de coisas simples... ele lhe dava a paciência e ela o seu vigor e ousadia da juventude, e assim fortaleciam cada vez mais o sentimento que os unia...

Um dia seus caminhos se separaram, mas, no peito de ambos o amor cultivado sempre se fez presente... e vez ou outra eles se falavam...

Mas, por um descuido da natureza, nosso grande Liaaauuum adoeceu, e o coração da pequenina Beija Flor estremeceu, uma dor imensa tomou conta do seu peito o que a fez procurar seu velho amigo...

Preocupada Beija Flor pediu ao Liaaauuum que jamais o abandonasse...

Contava os dias e as horas para o reencontro...

Mas, antes que pudesse sentir o aconchego e o carinho do Liaaauuum, o céu abriu suas nuvens e o chamou para reinar em outro bosque...

O Liaaauuum partiu sem poder se despedir da Beija Flor... deixando seu adeus nos braços de uma doce Borboleta, que com o coração partido avisou a amiga Àguia...

A linda Águia compartilhou com a Beija Flor a triste noticia, e a partida do Liaaauuum as fez viver uma cumplicidade silenciosa... fortalecendo a amizade entre elas, pois, ambas amavam muito velho amigo... e relembravam das grandes lições que ele havia ensinado...

Mesmo com o coraçãozinho triste. Beija Flor compreendeu que era hora do Liiiaaauuum partir, aprendeu que o tempo é algo precioso e que devemos sempre oferecer o nosso melhor, para fazer feliz quem nós amamos... E não importa em que bosque ele esteja, a amizade desses três amigos será para SEMPRE... porque um dia compartilharão do mesmo céu... do mesmo bosque ...

Cada um de nós possui um dom... o do grande Liaaauuum era a poesia, e como disse o amigo Tigre... o bosque do Céu precisava de um poeta... por isso nosso Liaaauuum foi chamado para compor seus lindos versos...



* As vezes nós adultos não conseguimos aceitar e compreender os designios de Deus... imagino que seja mais dificil ainda para nossos pequeninos...

A morte é apenas uma mudança física, pois, ao amarmos as pessoas, permitimos que elas vivam em nossos corações,e compreendemos que seu tempo conosco é de uma preciosidade sem fim...

Quando Deus chama é porque ele tem um cantinho muito especial no jardim da vida eterna... e temos a certeza de que ali nossos amados viverão felizes para sempre...

Assim como ensinamos o valor da vida... precisamos ensinar a eles também a olhar a morte de uma forma diferente, porque sempre estaremos onde Deus quer que a gente esteja.


*** Texto em homenagem à memória do grande amigo:

Mário Ferrari, o poeta de Coração Zagreu***

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Glorinha e os Brinquedos de Menino...***



Glorinha era o que podemos chamar de meio menina...muito moleca...daquelas bem pimentinha...
Caçula de três irmãos, Glorinha nunca entendeu por que os brinquedos de meninos eram sempre os mais bacanas...

Bolinha de gude, pipas, carrinho de rolimã, jogo de botão e figurinhas... Eles sempre levavam vantagem em tudo...
É claro que ela adorava e não abria mão de suas bonecas, dos joguinhos de chá, panelinhas e fogão... mas, bom mesmo eram os brinquedos de menino... mas, já que as meninas só brincavam de bonecas, ela provavelmente não ganharia nenhum...

O jeito então era contar com a distração do irmão mais velho, que sempre esperto não deixava nada a seu alcance...
Das bolinhas de gude só encontrava as manchadas, verdes e pequenas... mas, o que ela queria eram as grandes transparentes e coloridas, se fossem azul então... era motivo de comemoração...

Figurinhas... só pela metade, aquelas bem surradas que já não dava para brincar de “bafo”
Carrinho de rolimã... só as rolimãs antes de carrinho ficar pronto, ou quando ele já havia sido destruído nas incansáveis corridas na ladeira da Teodoro de Beuripaire...
Os pipas dançavam no azul do céu e subiam tão alto que a capucheta das meninas jamais alcançariam...

Certa vez antes de dormir perguntou para mamãe por que os meninos eram sempre mais felizes...
Dona Marina sem entender a pergunta da filha franziu a testa e quis saber o que tanto incomodava... e aos descobrir que era a curiosidade pelos simples brinquedos...riu e disse carinhosamente:

- Glorinha, nada a impede de brincar... Papai do Céu quando criou meninos e meninas, os fez para serem felizes e os brinquedos compartilhados... afinal, são apenas brinquedos e a verdadeira felicidade existe quando fazemos aquilo que alegra o coração...

E foi assim que Glorinha e seus irmãos passaram a dividir seus brinquedos e a se divertirem juntos , muito mais do que antes.



***Às vezes o que as crianças precisam é de uma simples conversa para se sentirem felizes e seguras...
Uma criança educada com amor, diálogo e respeito, certamente se tornará um adulto valoroso e seguro de si...

A coisa mais cruel que um adulto pode fazer é podar os sonhos e a curiosidade de um pequenino...